Nutricionistas garantem energia para os atletas
Segunda-feira, 23 de Julho de 2012
Categoria: Nutrição
Nutricionistas garantem energia para os atletas
-

No ritmo intenso da reta final de treinamentos, todo cuidado é pouco. A Confederação Brasileira de Judô e o Comitê Olímpico Brasileiro não mediram esforços para proporcionar a melhor estrutura possível para os judocas na preparação para a estreia nos Jogos Olímpicos de Londres. E a área de nutrição é um ponto importante nesse processo.

"No judô, a questão do peso é impeditiva. Se o atleta não está no peso certo, ele sequer pode lutar. Ao mesmo tempo, há uma necessidade grande da reposição da energia e substâncias gastas com o esforço. É essa equação que temos que resolver", explica Roberta Lima, nutricionista da CBJ desde 2003 juntamente com Gisele Lemos.

Mais do que ajustar as calorias das refeições dos 14 atletas olímpicos, as nutricionistas cuidam também da suplementação alimentar: compostos como maltodextrina, creatina, hidroway, beta alanina e glutamina, que visam a incrementar a ingestão de substâncias como proteína, carboidrato, entre outras. 

"Os atletas são muito conscientes dessa necessidade e seguem à risca as prescrições. É algo que veio crescendo do último ciclo olímpico, em Pequim, para cá", lembra Gisele Lemos. "Sumplementação é algo fundamental para atletas de alto rendimento. Mas é importante que seja uma suplementação supervisionada por especialistas, para evitar a ingestão de fórmulas proibidas ou prejudiciais ao atleta", frisa ela.

As doses são ajustadas por necessidade, por peso corporal e por tolerância do atleta àquele produto.

"Um atleta como o Rafael Silva deve ingerir, por exemplo, três vezes mais calorias do que um peso ligeiro. Mas não posso prescrever para ele meio quilo de carne em uma refeição. Daí a importância da suplementação proteica", diz Gisele Lemos.

"Nossa preocupação é sempre adequar a dieta à realidade de cada um. E também ao momento do exercício. Por exemplo, em competição, damos carboidrato antes e durante as lutas da primeira fase e, antes da fase final, acrescenta-se proteína para uma boa recuperação do esforço", ensina Roberta Lima.

Os atletas são pesados diariamente durante treinamentos de campo e concentrações. A tolerância de peso é 3% acima do peso máximo da categoria a 10 dias das competições e 5% antes disso. 

"A suplementação faz parte do treino do atletas. É muito importante", comenta o meio-leve Leandro Cunha, que se mantém dentro da zona sem grandes sacrifícios. "Me sinto forte e saudável", garante ele.

Manoela Penna, de Sheffield

Fonte: www.cbj.com.br

Apoio

Federação Internacional de Judô

Confederação Brasileira de Judô

Federação de Judô do Mato Grosso do Sul

Instituto Kodokan de Judô

World Judo Day (Dia Mundial do Judô)

Olimpíadas de Londres - 2012

Rua Melvin Jones, 815 - Bairro Jardim América - CEP 79803-010 - Dourados/MS

2010 © SAKURÁ - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: